sábado, 15 de maio de 2010

Tarefas da Comissão de Exame de Contas


Tem coisas na IPB - igrejas (refiro-me a algumas que conheci - sem generalizar!) que realmente quase nada é ensinado referente este assunto, joga-se na mãos de irmãos cheios de boa vontade, mas que não foram instruidos. Em geral fazem um "ticagem" do livro caixa, vendo se as coisas tem comprovantes e as vezes conferência de saldo (quando enviam as informações!!!).
Vamos tentar contribuir para o melhor desempenho desses queridos irmãos!
TAREFAS DA COMISSÃO DE EXAME DE CONTAS DA TESOURARIA (C.E.C)
1 - Essa comissão deve ser composta preferencialmente por pessoas que tenham uma certa habilidade com números (matemática) e rotinas de escritório como  manuseio de notas fiscais, recibos, R.P.A.,  verificação de cumprimento orçamentário, etc.
1 - A tesouraria da igreja deve remeter de três em três meses os documentos(livro caixa, extratos, notas, recibos,etc.- quando for livro caixa feito a mão, envia-se uma fotocópia e ao final da conferência os mesmos dão um visto no original para que não fique sem o devido registro ou atrase-o! ) bem como os balancetes referente ao período, preferencialmente, protocolar esta entrega, pode ser por um livro de protocolo simples, ou ainda, uma correspondência relatando o que está sendo entregue com o respectivo assinatura e data de quem recebeu.
2 - Esses três membros da comissão deverão marcar um dia (ou mais) para a verificação dos documentos. Segue uma sugestão de roteiro a ser seguido, no caso não é importante se feito a mão ou mecanizado/informatizado (maquina de escrever ou computador):
     1 - Conferir se tudo que está lançado no livro caixa tem os respectivos comprovantes válidos ( explico: há quase uma mania nacional de não se pedir e não fornecer nota fiscal,etc; e a igreja não deve pactuar com isto). No caso das entradas se foram conferidas por mais alguém ( tipo arrecadação conferida pelos diáconos - nomes), se houve receitas de outras origens, tipos juros bancários, alugueis, etc. .
     2 - Se o saldo realmente está batendo, isto é fácil de ser feito usando uma planilha simples do excel ( ou similar usando o computador) e também uma planilha feita a mão mesmo (na ausência de outros recursos), onde constará saldo inicial(para saber ponto de partida), entradas, saidas e saldo.MESMO SENDO FEITO NO COMPUTADOR(livro caixa informatizado) pode estar errado, conferir nunca é demais!
     3 - Se a nomenclatura das contas é coerente com o respectivos comprovantes, exemplo, não dá para aceitar lançamento em Materiais de Limpeza a compra de 2 rolos de fios elétricos, neste caso, seria Manutenção Imovel/Instalações. Ah! E tal conta Despesas Diversas ou Outras Despesas e por ai vai devem ser evitadas ao máximo. Qual é o princípio aplicado aqui: é que qualquer pessoa (com mínimo de conhecimento) consiga entender o que ocorreu com o dinheiro da obra do SENHOR e pagamento de desesas diversas a diversos não explica nada!
    4 - Havendo irregularidades devem ser anotadas e a comissão pode estabelecer critérios quanto as mesmas, exemplo, lançamento em conta errada, nível medio, falta de comprovante, nível grave, atrasos constantes de pagamentos tendo verba, nível gravíssimo! NUNCA a comissão poderá efetuar correções, não é sua tarefa isto!
    5 - Passada essas fases preliminares de conferência, ai entramos na questões dos balancetes, ou em outras palavras, o resumo de onde entrou o dinheiro e como saiu; isto por meio de contas (analíticas e sintéticas) e sua conferência com o orçamento que todo  Conselho deve fazer anualmente. O EXEMPLO abaixo  foi alterado por mim para demonstração; vamos supor que esse fosse um caso real que a C.E.C. estivesse analisando:
a) Verificar se a soma dos itens se confere, (algumas eu fiz NÃO bater, mas pode acontecer na realidade!)
b) As despesas foram superior ao orçado, mas não superaram as receitas,
    Neste caso, houve aprovação do Conselho para gastos além do orçamento? É necessário que isto fique registrado em ata do Conselho e que este deve dar ciência a C.E.C!
c) No caso aqui, diversas despesas superaram o valor orçado o que deve vir acompanhado das justificativas e aprovação do Conselho quanto as mesmas,
d) Como orçamento é feito anualmente é normal as variações contudo não se pode gastar mais do entra, nem muito menos justificar-se os gastos pelo fato de ter a disponibilidade de caixa, O CONSELHO é que elabora o orçamento, e é o mesmo que pode autorizar ou não suas alterações durante a execução! Nem o pastor presidente, nem o tesouraria podem gastar o dinheiro como e onde quiserem, EXISTE uma diretriz orçamentária decidida em Conselho, o dinheiro não é deles e mais, foi consagrado para a Obra do Senhor, deve-se ter sempre isto em mente!
Obs: em negrito as contas sintéticas e caixa normal as analíticas, a soma destas devem bater com os valores das contas sintéticas!


Orçamento  / Realizado
Previsto
p/ ano
Média Mensal
Realizado
no ano
Mês
jan/??
CONTAS
RECEITAS
61.875,00
5.156,25
 71.086,51
5.923,88
Dízimos
50.500,00
4.208,33
  46.103,21
3.841,93
Ofertas Vinculadas (construções,etc.)
0,00
0,00
   9.867,18
822,27
Ofertas Diversas não vinculadas
10.175,00
847,92
  13.916,12
1.159,68
Reembolsos Diversos ( revistas, etc.)
0,00
0,00
0,00
0,00
Saldo Exerc. Anterior
1200,00
100,00
1200,00
100,00
DESPESAS
61.875,00
5.056,25
  70.423,52
5.868,63
DESPESAS C/ PESSOAL
36.000,00
3.000,00
  36.275,11
3.022,93
Côngruas Pastoral – Honorários
32.400,00
2492,00
  33.686,52
2.807,21
Ordenados e Salários
3.600,00
276,00
   2.588,59
215,72
ENCARGOS SOCIAIS
6.200,00
516,67
   5.453,12
454,43
INSS
700,00
58,33
   1.754,39
146,20
FGTS - (zeladora, obreiros...)
2.700,00
225,00
   2.101,03
175,09
Outros Desp. Enc. Sociais (IRRF, Contr.Sind..)
1.300,00
108,33
   1.597,70
133,14
DESPESAS DE MANUTENÇÃO
2.850,00
237,50
   4.290,59
357,55
Energia Elétrica
1.400,00
116,66
   2.611,30
217,61
Água e Esgoto
450,00
37,50
      431,28
35,94
Limpeza/ Conservação Imobilizado (material...)
600,00
50,00
      312,15
26,01
Desp. Impostos e Taxas
200,00
200,00
             -  
Outras Despesas de Manutenção
200,00
16,66
      935,86
DESPESAS GERAIS
5.300,00
441,67
  15.379,52
1.281,63
Comunicação (telefones, cartas, anúncios...)
1.600,00
133,33
   2.928,01
244,00
Material (escritório, revistas ED, bíblias e outros)
600,00
50,00
   2.731,80
227,65
Bancária
300,00
25,00
      375,91
31,33
Serviços Contábeis
800,00
66,66
      240,00
20,00
Veículos (manutenção e combustível...)
2.000,00
166,66
   4.769,07
397,42
Aluguéis Imóveis e Condom
0,00
0,00
             -  
Despesas Gerais Diversas
0,00
0,00
   4.334,73
361,23
EVANGELISMO E MISSÕES
150,00
12,50
      357,23
29,77
Missões Transculturais
50,00
4,16
        50,00
4,17
Missões Nacionais
50,00
4,16
             -  
Evangelismo Local ( inclusive repasse a Congr.)
50,00
4,16
      307,23
25,60
CONTRIB. REGULAMENTARES
9.102,00
758,50
   8.241,01
686,75
Supremo Concílio – IPB
6.068,00
505,66
   5.223,45
435,29
Presbitério 
3.034,00
252,83
   3.017,56
251,46
DESPESAS DEPARTAMENTAIS
1.023,00
85,25
      204,79
Junta Diaconal
1.723,00
143,58
      204,79
17,07
UCP
100,00
8,33
             -  
UPA
100,00
8,33
             -  
UMP
100,00
8,33
             -  
SAF
100,00
8,33
             -   
UPH
100,00
8,33
             -  
  DESPESAS DE CAPITAL
0,00
0,00
             -  
    Móveis e Utensílios
0,00
0,00
             -  
Oferta Especiais
0,00
0,00
      207,15
Ofertas especiais
0,00
0,00
      207,15
17,26
Ajustes e Estornos de Lançamentos
0,00
0,00
        15,00
Ofertas especiais
0,00
0,00
        15,00
1,25

A COMISSÃO tem poderes para não aprovar as contas, ou ainda, solicitar esclarecimentos e determinadas as devidas correções, instruindo também para que as mesmas não aconteceçam novamente ( acontece muito erros,  mais por desconhecimento mesmo!).
Estando tudo de acordo prestará esta comissão um relatório simples, dando por aprovada as contas e respectivo arquivamento dos documentos pelo tempo legal ( Como geralmente o volume é pequeno, recomendo que seja guardado, não queime ou jogue fora após cinco anos, já vi casos de necessitarem de documentos após 5 anos e só encontraram porque fora guardado!)
AH! Tudo isto NÃO SUBSTITUI A CONTABILIDADE LEGAL dos documentos que deve ser feitas normalmente, para isto contratando os serviços contabéis de algum escritório ou contador devidamente credenciado ( quando a Igreja não possuir contabilidade própria - ainda não vi uma igreja neste nível, tendo contador contratado para controlar sua contabilidade, mas pode acontecer!)
Noutra postagem tratarei sobre a leitura/interpretação do orçamento e a condução da Igreja,
Outras questões podem ser levantadas é so escrever!
PAZ - em Cristo!
ACRÉSCIMO EM  12/03/2011 - A C.E.C. deverá ser mais ágil no final do período eclesiástico/contábil ( ainda que comissão tenha 3 meses de prazo para análise e parecer sobre os últimos três meses entregues pela tesouraria), pois no meu entender não se deve eleger nova tesouraria sem que as contas da anterior estejam aprovadas, inclusive para que prestação de contas a Assembléia seja mais confiável neste quesito e trazendo mais tranquilidade para quem for exercer o cargo posteriormente! Assim acontece nos Concílios Superiores e deve se aplicar também ao Conselho, a igreja local!

40 comentários:

  1. Graça e paz!
    Rev. Hélio, parabéns pelo blog. Tenho certeza de que ele servirá (já tem servido) aos propósitos objetivados.
    Que o Senhor continue lhe abençoando ricamente.
    abraço.
    Rev. Carlos Ulhoa - BSB

    ResponderExcluir
  2. Olá grande irmão Rev. Carlos Ulhoa, que satisfação ve-lo por aqui, agradeço a visita.
    PAZ em Cristo!

    ResponderExcluir
  3. Grande auxílio caro colega Rev. Hélio.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Bom dia Rev. Hélio, como membro da Comissão de Exame de Contas, posso não aceitar um documento pago pelo tesoureiro referente a gastos de viagem?

    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia irmão,
      O ato de não aceitar um documento é algo forte dependendo do contexto, mas em tese, a Comissão de Exame de Contas tem poderes para reprovar todas as contas, ou um documentos, mas seria interessante ( se possível) quando é nítido que foi somente uma falha administrativa, dar condições para que ela seja resolvido, ou seja, se a despesa foi real e dentro da previsão orçamentária, notifique a tesouraria de que consta um recibo não válido e veja se há possibilidade de corrigir, não havendo, pode-se aprovar as contas com essa ressalva visando que doravante evite tal procedimento.
      Deus ajude e ilumine!
      Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo!

      Excluir
  5. Olá, Pr. Hélio! A comissão pode, em seu relatório, dar parecer contrário ao pagamento de determinadas contas que considere não ser papel da igreja pagá-las, como conta de farmácia, energia elétrica e telefone da casa pastoral, mesmo que aprovadas pelo conselho? Pergunto isso, também, porque alguns consideram que a comissão deve apenas analisar se as notas conferem ou não, não podendo emitir opinião sobre gastos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá ir. Charles,
      Repare, considerando que o Conselho é constituído de pessoas sérias, escolhidas pela Igreja, deve-se verificar o porque de tais pagamentos e a que titulo se deram.
      Vou dar um exemplo: uma vez acolhi em casa, um grupo que estava visitante a igreja a convite da mesma( uns 7 irmãos de uma equipe de louvor) ficaram mais de uma semana em casa evitando assim uma despesas maior para a igreja como hotel, alimentação e outros. Ainda que eu não tenha cobrado, e nem recebido, não seria injusto receber a compensação pelos gastos extras decorrentes de tal hospedagem!!!!!
      Se o Conselho aprovou tal pagamento, deve estar em ata a fundamentação - procure saber!
      Caso realmente chegue a compreensão de que é um ato irregular, emitam o parecer, podendo inclusive solicitar que sejam devolvidas tais verbas aos cofres da igreja!
      Com respeito a atuação da comissão - o meu entendimento é que podem sim dar um parecer (sempre de forma construtiva e respeitosa) para melhorar o gerenciamento das contas da igreja e vou mais longe, verbas que não tenham dotação orçamentária, ou aprovação do Conselho para tais gastos, podem ser reprovadas, cabendo a DEVOLUÇÃO.
      Mas friso novamente, na dúvida, procure saber, e considere a seriedade de seus lideres ( pastores e presbíteros)!
      Deus ajude e abençoe!
      Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo!

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta, Pr. Hélio! Suas orientações são importantes para tratarmos com amor e seriedade as contas da igreja.

      A paz de Cristo!

      Excluir
  6. pastor a alum artigo no manual ou algum documento que fala o funcionamento da CEC?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim. No modelo de estatutos adotado pelas IPBs consta assim:
      "CAPÍTULO V
      DA COMISSÃO DE EXAME DE CONTAS
      Art.11 - O Conselho nomeará, anualmente, uma comissão de exame de contas da tesouraria, composta de três pessoas.
      § 1º - A escolha poderá recair sobre quaisquer membros da Igreja.
      § 2º - O tesoureiro fornecerá a essa comissão, de três em três meses e ainda no fim de cada exercício, um balancete da tesouraria, acompanhada de todos os livros e comprovantes, inclusive contas bancárias.
      § 3º - A comissão de exame de contas, por sua vez, prestará relatório ao Conselho de três em três meses e ainda um relatório geral do exercício findo, relatórios esses que devem vir acompanhados dos balancetes da tesouraria."
      Seria interessante ler todo estatutos de tua igreja ( geralmente segue o modelo da IPB)
      Deus abençoe.
      Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo!

      Excluir
  7. Boa tarde amado!
    Sou pastor presbiteriano, e estou enfrentando um grande problema com o meu tesoureiro. Desde o ano 2013 ele tem conduzido a tesouraria de forma desorganizada, fazendo pagamentos em dinheiro, não apresentando notas de tudo, etc. No início do ano passado (2014) solicitei a ele que fizesse todos os pagamentos apenas com cheque, e ele não o fez. Ele continua sem prestar contas ou apresentar o material à comissão de exame de contas. Tenho percepção de que as entradas não coincidem com as saídas, e então passei a investigar isto. Ele descobriu que eu estava investigando, e o clima ficou ruim, os presbíteros ficaram do lado dele e eu fiquei como vilão da história. Como me aconselha prosseguir com esta situação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão colega de ministério,
      HUmmm que coisa "doida" está acontecendo contigo! Deus ajude.
      Vamos lá:
      1 - Solução mais simples, deposição administrativa, tire o mesmo através de uma reunião do Conselho para esse fim; lembrando também de escolher o novo tesoureiro;
      2 - Do período em que o mesmo esteve a frente ELE deve prestar consta minuciosamente, primeira a Comissão de Exame de Contas, caso o Conselho não tenha nomeado, aproveita a reunião acima mencionada e escolham irmãos capazes e piedosos ( se possível);
      3 - Tesoureiro não é gerente administrativo ou financeira da igreja. Já falei isto várias vezes aqui e repito. Quem preside a igreja é o PASTOR que foi escolhido presidente. Este decide o que pagar e quando pagar conforme orçamento aprovado pelo Conselho. ( NADA DE deixar cheque assinado para o tesoureiro - no início é mil maravilhas de confiabilidade - depois alguns começam a achar que podem fazer o que bem entender);
      4 - Se os presbíteros estão do lado que esta errado, tem que comunicar ao presbitério, se este ainda se omitir, SAIA urgente "desta igreja e da região"; deixaram de ser IPBs pois não podemos usar o MANUAL só quando nos interessa.
      5 - Ah! Procure agir com o maior amor possível, e dentro das normas da CI-IPB, mas pelo que está me falando acaba caindo dúvidas quanto a lisura da tesouraria. Se tem algo que as IPBs tem grande zelo é por essa área, transparência, fiscalização, prestação de contas, etc.
      Enfim, prezado irmão, ore e peça MUITA sabedoria a Deus e se ELE realmente te quer num ambiente destes caso não aconteça uma correção destes procedimentos "estranhos" a nossa denominação.
      Deus ajude!
      Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo!
      Pr. Hélio

      Excluir
  8. a paz meu amado.
    congrego numa igreja onde não temos comissão de conta e não há nenhum relatório apresentado pros membros ou para o ministério da igreja acerca das finanças da igreja.
    em uma reunião de obreiros eu posso,cobrar ao lider (pastor) levantar membros para comissão de contas..
    caso isso aconteça ele pode negar essa comissão?
    fico em duvida por que uma vez fui cobrar acerca,e o pastor e o primeiro secretário deu uma desculpa esfarrapada que não convenceu e até hoje não temos nenhum relatório das finanças da igreja..
    preciso de um esclarecimento acerca,pode me ajudar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz em Cristo.
      1 - "Poso cobrar ao lider" (pastor)...?
      R.: Não. Não dele, mas do Conselho, quem é de fato responsável é este. Então fale com seus presbíteros e até com seu pastor; quem deve ver isto é o concílio, exatamente para que não fique a cargo e vontade de um somente.
      2 - "pode negar..." C.E.C.?
      R.: De modo algum poderá negar; não há poderes no exercício do pastorado que lhe dê esse "direito"; ao contrário; quanto mais transparente for - melhor para todos.
      3 - " relatório apresentado pros membros"?
      R.: Funcionava assim pelo nosso modelo de Estatuto, que deve ser o de tua igreja também:
      - O Conselho voto o orçamento ( aonde cada verba deve ser aplicada - anualmente, e por consequência, o rateio mensal).
      - O presidente gerencia isto, pagando os valores juntamente com o tesoureiro; sendo que os valores ( grana) é de responsabilidade do TESOUREIRO, por isto, não deve ser deixado em casa, ou em contas pessoais; mas em banco determinado pelo Conselho.
      - A cada 3 meses o tesoureiro encaminha os documentos (devidamente contabilizados) a Comissão e esta presta relatório ao Conselho.
      - O Conselho presta relatório anual aos irmãos através da Assembléia Geral Ordinária desses valores ( entradas e saídas).
      COMO já escrevi, as finanças das IPBs não são "secretas", pelo contrário todo membro comungante pode ver e tomar conhecimento, seja diretamente com o tesoureiro, através de um presbítero, ou mesmo do pastor. SÓ não pode é ficar com as pastas, ou levar para casa, sob o risco de extraviar aluns documentos, ou simplesmente "curiosando quem deu quanto deu". etc.
      Nas igrejas que passei isto sempre foi algo tranquilo e com total transparência. Contudo a prática de colocar em mural, etc., não é regra. Alías, nem acredito que seja bom este tipo de publicidade das contas, especialmente para evitar de expor quanto cada um tem contribuído, etc.
      Espero irmão ter ajudado; tudo que escrevi tem base no Manual Presbiteriano - modelo de estatuto.
      Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo.

      Excluir
  9. Amado, Graça e Paz em Cristo Jesus,
    Sou membro da C.E.C. Durante este ano de 2015 o Tesoureiro da Igreja apresentou somente um relatório para exame da Comissão. Então em contato com os outros membros, solicitei a apresentação da prestação de contas dos demais trimestres. Foi entregue e aparentemente tudo certo. Ocorre que teve uma compra, por exemplo de uma cama de casal, onde não foi esclarecido qual o destino. Vou perguntar ao Tesoureiro. E se a compra foi feita para a casa pastoral, estaria correta? Como devemos proceder?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Paz.
      A questão é meio complicada numa igreja, por exemplo, a cama pode ser uma doação da junta diaconal a alguma vítima de calamidade e de condições financeiras menos favorecida; ou como disse, adquirida para a casa pastoral (?) não é comum, mas até pode, se houver verba orçamentária para isto ou aprovação explícita do Conselho em Ata.
      ENTÃO, o melhor a fazer se pela documentação não está claro é - ou faça uma observação e solicite esclarecimentos; ou dialogue com o tesoureiro, o pastor ou um presbítero pedindo a razão e destino do item.
      Obs.; a tesouraria junto com a presidencia devem providenciar para que a comissão receba TODAS as informações e documentos necessários para seu labor e não o inverso ( a CEC ir atrás).
      Deus ajude.
      Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo.

      Excluir
  10. Amado,
    Esqueci de perguntar: É necessário ser designado entre os membros da C.E.C cargos, como presidente, secretário etc..?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo necessidade, mesmo porque a razão de serem 3 é mais para que haja um testemunho ( bíblico) do trabalho; se quiserem pode até escolher um relator ( até facilita).
      PAZ em JESUS - o Crsto!

      Excluir
  11. Paz Pr. Hélio
    Sou pastor da IPB. Já relatei o início do caso aqui. Agora está acontecendo o seguinte:
    O tesoureiro, que era um presbítero, saiu da igreja há 9 meses, e não prestou contas de um trimestre. Sei que houve um desfalque grande em dinheiro, mas os presbíteros, em sua maioria não acreditam e nem querem entrar com ação de exigência de prestação de contas na justiça, pois o defendem por amizade. Toda a documentação de 3 meses está com ele, e não a entrega por nada. Algumas pessoas da igreja me vêem como vilão, pois acham que o acusei de roubo. Preciso de que ele entregue as notas para que seja provado a verdade, mas, o mesmo se nega, e os presbíteros, como já disse, não querem entrar com a ação de prestação de contas, exigindo judicialmente que ele o faça. E não querem que o assunto seja decidido pela assembléia. Já houve manifestações de membros em entrar com a ação, mas o conselho se nega a fazê-lo. O que devo fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá,
      Paz em Jesus.
      Que situação difícil, vamos lá, vejamos:
      1 - Tem provas de que realmente houve "desfalque"? Digo documentos e/ou testemunhas idôneas!?
      Se sim, é um dever do Conselho ir adiante e requerer a devolução, se for o caso, até judicialmente; CONTUDO; primeiro no ambito da IPB.
      Porque ele é membro da ainda da IPB e não se deve levar perante o juizo secular um irmão;
      Agora se ele foi excluido, ou não está como membro em alguma igreja nossa, deve ai partir para a justiça secular;
      SE NÃO tiver, nem pense em lidar com isto.
      Cabe exigir a prestação de contas, sim, também em ambas as situações que citei acima.
      Por que Assembléia?
      Quem deve ver isto é o Conselho.
      Irmão, depende do caso, orem, orem muito, e se for o caso de Deus assim direcionar, é melhor sofrer o dano e seguir em frente; mais tem Deus para suprir do que quaisquer expertos para subtrair...
      Reconheço que não é fácil, Deus ilumine e abençoe!
      Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo!

      Excluir
    2. Pastor,
      O ex-tesoureiro se nega a prestar contas. Todo o material (notas fiscais)da tesouraria está com ele. Ele já não faz parte da IPB. Isto já há 8 meses. A maioria do Conselho da Igreja não que entrar com a Ação de Prestação de Contas (na justiça), pois são amigos do citado. Fui orientado por um juiz e presbítero de uma de nossas igrejas a entrar com a Ação de Prestação de Contas independente do Conselho, visto que no estatuto eu sou o representante civil, judicial e extra-judicial da igreja. Qual a sua opinião?

      Excluir
  12. Pr. Hélio, boa tarde!

    Sou integrante do Conselho Fiscal de minha igreja a partir de Janeiro/2016, e tenho algumas dúvidas:

    1 - Só tomei ciência de minha participação agora. Me nomearam sem me consultar. Caso eu aceite fazer parte, minha nomeação pode ser questionada por algum membro? Qual procedimento correto devo tomar?

    2 - A última prestação de contas ainda não foi aprovada pelo último Conselho Fiscal, devido a algumas irregularidades. É correto se fazer a conferência do próximo trimestre, tendo um pendente?

    3 - Qual procedimento correto o Conselho Exame de Contas deve tomar em caso de pagamentos de valores altos, sem o devido comprovante legal (NF)?


    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite. PAZ em Jesus.
      Respostas:
      1 - deveriam conversar contigo antes.
      Não, os membros não poderão questionar a sua nomeação pois é tarefa do Conselho isto. Quanto ao procedimento, se deseja ajudar nesta área, siga em frente, caso não, apresente uma carta declinando de tal incumbência.
      "Considere que DEUS está querendo que o irmão atue neste campo até para ajudar os demais!!! " Faça e faça bem feito!!! Com zelo mas com AMOR também.
      2 - Bom - não deveria - mas as contas sendo ou não aprovadas - a vida prossegue. Avaliem do período que lhes cabe e faça as devidas ressalvas no relatório. Pode sim fazer, na verdade, é necessário!
      3 - Quanto a NFs não importa o valor, deve constar, ou na sua ausência; algum outro documento contábil válido.
      LEMBRE_SE a C.E.C. é também um orgão que "ajuda" a melhorar a controladoria; por isto, pode e deve emitir pareceres também de como fazer para se enquadrar perante a legislação e lisura/transparências dos atos.
      Espero ter ajudado.
      Deus AJUDE a todos nós.
      Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo!

      Excluir
    2. Pr. Hélio, obrigada pelas informações! Aproveitando gostaria de esclarecer mais algumas dúvidas:

      1 - Pagamentos feitos a terceiros, onde o recibo é assinado pelo próprio Pastor da igreja e não pelo beneficiário, seria válido?

      2 - Em caso de verbas repassadas para Sociedades Internas promover alguma comemoração, como seria o comprovante válido na prestação de contas da igreja? Um simples recibo repassando para a Sociedade Interna ou a prestação de contas, com comprovantes de despesa?

      3 - Para o cálculo do FAP repassado ao Pastor, existe algum critério estabelecido para esse cálculo?

      3 - Toda IPB tem que ter Regimento Interno da tesouraria?

      4 - Existe alguma fundamentação legal, estabelecida pela IPB, que regula os procedimentos da tesouraria e C.E.C.?

      Desde já agradeço sua colaboração, minha intenção é prestar um bom serviço de orientação e auxílio à tesouraria de nossa igreja, sanando possíveis erros, por isso estou procurando me informar da melhor maneira possível.

      Paz do Senhor a você!

      Ione

      Excluir
    3. Olá,
      PAZ em Jesus - o Cristo.
      Respostas:
      1 - Pagamentos feitos a terceiros, onde o recibo é assinado pelo próprio Pastor da igreja e não pelo beneficiário, seria válido?
      RESPOSTA: Esse é um caso em que os pastores com bom senso DEVEM evitar ao máximo; e quanto assim o fazer que tenha justificativas plausíveis...Por exemplo - o prestador do serviço morreu... sumiu... e aí deve assinar também testemunhas destes fatos.
      Caso contrário coloca ele mesmo em suspeição o recibo, CONTUDO, nem sempre é por "maldade" as vezes e falta de instrução - a C.E.C. pode e deve instruir quanto a isto.

      2 - Em caso de verbas repassadas para Sociedades Internas promover alguma comemoração, como seria o comprovante válido na prestação de contas da igreja? Um simples recibo repassando para a Sociedade Interna ou a prestação de contas, com comprovantes de despesa?
      RESPOSTA: Um recibo válido contabilmente com a assinatura do tesoureiro da sociedade interna e se possível também do presidente. A contabilidade é feita pela igreja normalmente.

      3 - Para o cálculo do FAP repassado ao Pastor, existe algum critério estabelecido para esse cálculo?
      RESPOSTA: Sim, tem o regulamento do F.A.P. tem o link aqui no blog, é de 8% sobre as Côngruas, depositado em conta conjunta em nome do pastor e da Igreja.

      3 - Toda IPB tem que ter Regimento Interno da tesouraria?
      RESPOSTA: Nunca ví uma que tivesse, ainda que nada impeça.

      4 - Existe alguma fundamentação legal, estabelecida pela IPB, que regula os procedimentos da tesouraria e C.E.C.?
      RESPOSTA: Basicamente o Manual Presbiteriano tem orientações tanto para tesouraria como para a C.E.C. ( tem link aqui no blog também). CONTUDO não em detalhes.

      Disponha.
      Deus abençoe

      Excluir
  13. Pastor,
    Já expus o caso aqui, e a situação se complica. Gostaria de ouvir a sua opinião. Sou pastor da IPB.
    O ex-tesoureiro se nega a prestar contas. Todo o material (notas fiscais)da tesouraria está com ele. Ele já não faz parte da IPB. Isto já há 8 meses. A maioria do Conselho da Igreja não que entrar com a Ação de Prestação de Contas (na justiça), pois são amigos do citado. Fui orientado por um juiz e presbítero de uma de nossas igrejas a entrar com a Ação de Prestação de Contas independente do Conselho, visto que no estatuto eu sou o representante civil, judicial e extra-judicial da igreja. Em sua opinião, o que devo fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo.
      Hummm pelo jeito está cada vez mais difícil....Antes de entrar na justiça comum tome alguns CUIDADOS...
      1 - Este tesoureiro deve passar pelo processo disciplinar, podendo chegar a exclusão do rol de membros.
      2 - Aí sim poderá entrar com ação na justiça comum;
      Caso o item 1 não tenha acontecido poderá o dito "tesoureiro" entrar com processos contra quem o processar na esfera da IPB uma vez que já tem decisão que não devemos levar a justiça comum um irmão de fé ( da IPB).
      No caso dos presbíteros não quererem discipliná-lo e deixar por isto...
      Ah! Neste caso deve sim ser comunicado a igreja e se for o caso ao Presbitério para que intervenha dissolvendo o Conselho e promovendo novas eleições...
      MAS, não tem ninguém aí com o DOM de conversar com esse tesoureiro e ajudar a resolver isto por meios "suasórios", sem necessitar demandas desgastantes???
      Ore mais, jejue peça ao SENHOR uma saída, porque realmente a justiça comum pode até resolver mas é uma vergonha para os que se dizem "cristãos" .
      Dou razão para teu argumento, mas a saída é muito difícil e penosa.
      DEUS AJUDE
      Graça e Paz em Jesus - o Cristo

      Excluir
  14. Paz! Pastor, ele já não faz parte da IPB. Alguns amigos dele já foram até ele tentar convencer a entregar as notas, mas ele se nega e fica irredutível.
    Apesar disso, estes amigos dele continuam contra entrar com a ação de prestação de contas na justiça. Estou entrando sozinho, em nome da igreja, sem a anuência do conselho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá irmão.
      Paz em Cristo.
      Neste caso acredito que está fazendo o certo sim, mesmo porque haverá audência de conciliação ( acho!!) e Deus ajude de ali se ressolver toda essa questão.
      INFELIZMENTE esse é um dos extremos que as vezes temos que chegar afim de que a igreja de Cristo a qual pastoreamos não venha a sofrer danos.
      DEUS AJUDE.
      Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo

      Excluir
  15. Pastor Hélio,

    Faço parte da C.E.C. da IPB de minha cidade, ao entregarmos o relatório do primeiro trimestre ao conselho fomos surpreendido com a rejeição do relatório por parte deles, alegando o seguinte:

    A C.E.C. não pode sugerir nem opinar nada que não seja referente as contas do trimestre.

    Pois bem, queria detalhar algumas sugestões que colocamos no relatório levando em consideração que a saúde financeira da igreja não está boa, inclusive o caixa da igreja está fechando no vermelho há alguns meses, com isso sugerimos o seguinte.

    1- REVER, COM ABSOLUTA ISONOMIA AS QUANTIDADES E SALÁRIOS DOS FUNCIONÁRIOS E AGREGADOS DA IGREJA.

    2-CASO SEJA NECESSÁRIO, QUE HAJA ESTUDO E DECISÃO DO CONSELHO ACERCA DA POSSIBILIDADE DE DIMINUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA DOS FUNCIONÁRIOS, MESMO QUE TEMPORARIAMENTE.

    3-REALIZAR COTAÇÕES NO MERCADO DE TODOS OS CONTRATOS TERCEIRIZADOS, COMO POR EXEMPLO: SEGURANÇA ELETRONICA, SERVIÇOS GRÁFICOS, ETC.

    4-IMPLANTAÇÃO DO GERENCIADOR FINANCEIRO (BANCÁRIO) QUE PROPORCIONARÁ REDUÇÃO DE DESPESAS COM: TARIFAS, TAXAS E TRANSPORTES PARA LOCOMOÇÃO DE FUNCIONÁRIO ATÉ O BANCO.

    5-Efetuar a troca de toda iluminação por LED, entendemos que com essa ação reduziríamos consideravelmente a conta de energia, porém o investimento inicial será um pouco alto, com isso sugerimos que seja uma medida a médio prazo.

    DENTRE OUTRAS SUGESTÕES PARA REDUÇÃO DE CUSTOS E DESPESAS, SEMPRE LEMBRANDO QUE O PODER DE DECISÃO PARA ACEITAR ALGUMA SUGESTÃO É DO CONSELHO, NÓS DA C.E.C. NÃO TEMOS O PODER DE DECIDIR.

    PERGUNTO AO PASTOR HÉLIO SE NOSSAS SUGESTÕES NÃO ESTÃO LIGADAS AS CONTAS DA IGREJA?

    NA MINHA OPINIÃO O CONSELHO TEM TODO O DIREITO DE REJEITAR AS SUGESTÕES DA C.E.C., MAS REJEITAR O RELATÓRIO POR CONTA DE NOSSAS SUGESTÕES É NO MÍNIMO ESTRANHO.

    QUERIA SABER SE EXISTE ALGO NO REGIMENTO INTERNO OU EM ALGUMA DECISÃO DE CONCÍLIOS ONDE DAR A C.E.C. ESSA AUTONOMIA DE DAR SUGESTÕES E OPINAR.

    NO AGUARDO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, boa noite. Paz em Cristo Jesus - Senhor Nosso.
      Vamos as respostas:


      "A C.E.C. não pode sugerir nem opinar nada que não seja referente as contas do trimestre."
      PROCEDE - A C.A.C. devem tecer as considerações sobre as contas examinadas; PORÉM, os balancetes anexos devem contemplar o andamento da situação financeira!

      "....a saúde financeira da igreja não está boa, inclusive o caixa da igreja está fechando no vermelho há alguns meses..."
      OPÁ, isto não existe numa IPB, ou não deveria, como conseguem fechar no vermelho? Igreja não tem cheque especial, ou limite em banco para usar; talvez entendi errado e esteja se referindo a dívidas com fornecedores e colaboradores, MAS aqui também é algo estranho ao trâmites da IPB e mais ainda ao ensino das Sagradas Escrituras. Só por isto já caberia um questionamento quanto a probidade administrativo do CONSELHO na gestão do orçamento, especialmente o Presidente do Conselho.

      Daqui para baixo - acredito eu - que pode sim chegar a nível de sugestão, pois a C.A.C. não tem poderes de gerência sobre a administração e sim somente análise e parecer quanto as contas da tesouraria;

      "1- REVER, COM ABSOLUTA ISONOMIA AS QUANTIDADES E SALÁRIOS DOS FUNCIONÁRIOS E AGREGADOS DA IGREJA.
      2-CASO SEJA NECESSÁRIO, QUE HAJA ESTUDO E DECISÃO DO CONSELHO ACERCA DA POSSIBILIDADE DE DIMINUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA DOS FUNCIONÁRIOS, MESMO QUE TEMPORARIAMENTE.
      3-REALIZAR COTAÇÕES NO MERCADO DE TODOS OS CONTRATOS TERCEIRIZADOS, COMO POR EXEMPLO: SEGURANÇA ELETRONICA, SERVIÇOS GRÁFICOS, ETC.
      4-IMPLANTAÇÃO DO GERENCIADOR FINANCEIRO (BANCÁRIO) QUE PROPORCIONARÁ REDUÇÃO DE DESPESAS COM: TARIFAS, TAXAS E TRANSPORTES PARA LOCOMOÇÃO DE FUNCIONÁRIO ATÉ O BANCO."

      OBS.: minha neste ponto 5 - a troca de luminária para LED só compensa se o uso for frequente mesmo; ainda mais numa situação econômica apertada como me parece que é o caso; aqui em nossa igreja após consultar vários especialistas e realizarmos calculas, optamos por lâmpadas fluorescentes mesmo no setor das salas de aulas e salão social - isto com o conselho de empresários que vendem luminárias de LED a preço bem melhor - que disse que nosso caso não seria tão vantajoso!!!

      5-Efetuar a troca de toda iluminação por LED, entendemos que com essa ação reduziríamos consideravelmente a conta de energia, porém o investimento inicial será um pouco alto, com isso sugerimos que seja uma medida a médio prazo.

      "DENTRE OUTRAS SUGESTÕES PARA REDUÇÃO DE CUSTOS E DESPESAS, SEMPRE LEMBRANDO QUE O PODER DE DECISÃO PARA ACEITAR ALGUMA SUGESTÃO É DO CONSELHO, NÓS DA C.E.C. NÃO TEMOS O PODER DE DECIDIR.

      PERGUNTO AO PASTOR HÉLIO SE NOSSAS SUGESTÕES NÃO ESTÃO LIGADAS AS CONTAS DA IGREJA?

      NA MINHA OPINIÃO O CONSELHO TEM TODO O DIREITO DE REJEITAR AS SUGESTÕES DA C.E.C., MAS REJEITAR O RELATÓRIO POR CONTA DE NOSSAS SUGESTÕES É NO MÍNIMO ESTRANHO."
      Realmente me parece que não precisariam rejeitar o relatório; mas vamos lá, essas mesmas coisas podem ser levantadas na Assemb. Geral Ordinária - quando DEVE haver a prestação de contas para a Igreja e ai não tem como rejeitar os questionamentos de um membro!!!



      "QUERIA SABER SE EXISTE ALGO NO REGIMENTO INTERNO OU EM ALGUMA DECISÃO DE CONCÍLIOS ONDE DAR A C.E.C. ESSA AUTONOMIA DE DAR SUGESTÕES E OPINAR."
      Que eu me recorde não, aliás, nem é muito claro a sua abrangência; nossa tentativa aqui no blog e ajudar os irmãos que fazem parte das C.A.C. dando um "singelo" direcionamento.
      Existem locais onde o Conselho pode propor e aprovar umn regimento interno para a Comissão de Exame de Contas detalhando melhor suas atribuições e métodos, isto as vezes ajuda.

      FRISO: Nem sempre a má administração é deliberada, tem muito irmãos honesto e sinceros que fazem errado por ignorância mesmo, não sei se é o caso, outro que fazem errado por OMISSÃO que é mais grave e tem os que fazem deliberados - esses sim devem ser confrontados e se for o caso tirados da administração

      Deus ajude, espero ter colaborado.
      Há sempre PAZ em Jesus - o Cristo

      Excluir
  16. Obrigado Pastor. Ajudou muito sim!

    Queria fazer só mais um questionamento.

    O conselho pediu para que fosse refeito o relatório. Continuo sem ver a necessidade disso. O conselho pode muito bem aceitar o relatório e acatar ou rejeitar as sugestões que quiser. Quem tem poder de decisão é o conselho.

    Ta parecendo que eles querem ditar o relatório para que nós da C.A.C. só assinemos, e isso não vou aceitar. Até porque todas nossas sugestões estão ligadas as contas e situação financeira da igreja.

    Como podemos proceder neste caso do conselho não querer aceitar o nosso relatório??

    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá.
      Paz em Jesus.
      No meu entender o Conselho deve respeitar o trabalho da C.E.C. e receber o relatório. Se quiserem mesmo"ditar" o relatorio vocês podem não aceitar, ou se for o caso, que é o que me parece solicitar que tudo seja por escrito e oficial - registrado em ata - uma vez que o da comissão cchegou por escrito.
      MAS me surgiu uma coisa mente. Será que realmente o CONSELHO inteiro esta ciente de tudo isto? Todos concordam? Cuidado pois a opinião do presidente ou devum presbítero PODE não ser a expressão de todos.
      Em ultimo caso renunciem coletivamente a função - por escrito. E eles nomeem que vai andar na cartilha deles - credo que coisa feia chegar neste ponto - Deus ajude que não seja necessário. Leia 1 Co. 7.
      E o que entendo e posso estar errado.
      Paz so em Jesus - o Cristo

      Excluir
  17. Caro Pastor Helio, boa noite. Por favor, o sr. teria um modelo em word para que a CEC apresente como relatório ao Conselho local? Obrigado.
    Marco Antonio Ribeiro, Presbitero Igreja Presb. Asturias - Piracicaba/SP.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia. Paz em Cristo.
      Estou em um curso ( CTM - IBEL - Patrocínio - MG) logo peguei um intervalo para responder... Desculpe a demora:
      Realmente falta alguns modelos de documentos no blog, com o tempo quero fazer isto, no momento segue abaixo um exemplo, pode copiar e colar no word e editar:
      ...., 09 de Dezembro de 2008.

      Assunto: Exame de Contas da Tesouraria

      Foram analisados os relatórios e documentos apresentados a nós e consideramos aprovadas as contas da tesouraria;

      OU
      ...consideramos aprovadas com as seguintes observações:
      ..
      ...



      OU ainda:
      consideramos reprovadas as contas e determina-se as seguintes correções e( ou) apurações:
      ....

      Fraternalmente, em Cristo Jesus, Nosso Senhor e Salvador,

      .... 1 nome da comissão


      .....2 nome da comissão


      .....3 nome da comissão

      Espero ter ajudado.
      PAZ

      Excluir
  18. bom dia
    Gostaria de saber se um Presbítero membro do conselho pode ser tesoureiro da igreja IPB, pois ele ja sendo menbro do conselho.

    ResponderExcluir
  19. Boa tarde.
    Pelaa normas pode ser. Tem os benefícios e também suas dificuldades.
    Por exemplo:
    Fazendo parte do Conselho fica mais facil o dialogo nos assuntos financeiros;
    Por outro lado pode gerar alguns constragimentos por ocasião da Comissão de Exame de Contas achar algo divergente ou falhas e não tiver humildade se aceitar...OU AINDA esquercer-se de que quem gere e o pastor. Ele não é o gerente financeiro. O Conselho determina o orçamento e o pastor gere, exceto se tive determinação diferente do Conselho.
    Mas o pastor que for o presidente deverá assinar junto, logo não ha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não ha autonomia para fazer como quiser.
      Espero ter ajudado.
      Paz

      Excluir
  20. Graça e paz reverendo.

    o senho poderia me manda um modelo de como fazer o livro caixa dos dizimos e ofertas da igreja?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paz em Cristo.
      Segue o link ( pode usar, editar, alterar.. fique a vontade)
      https://drive.google.com/open?id=0Byw2RPd8iJngZERZZnZTdDQ1YW8

      Excluir